R$2,95

6x de R$0,55 5% de desconto pagando com Pix ou Depósito Ver mais detalhes
Entregas para o CEP: Alterar CEP
Nossa loja
  • Livraria Simples - Rua Rocha, 259 - Casinha Azul Bela Vista São Paulo/SP CEP 01330-000 Metrô mais próximo Trianon-Masp
    Grátis

Este livro faz parte de nossa feira de troca. Você, caro leitor, paga apenas a taxa de manuseio (2,95) e pelo frete a fim de recebê-lo em casa; e fica com o compromisso de trazer o seu livro de troca numa visita à loja física para um café e uma prosa. Se estiver em São Paulo, poderá retirá-lo em até três dias úteis após a confirmação do pagamento da taxa de manuseio e processamento. Não esqueça, é claro, seu livro para troca :D.
As regras para troca são:
1 - Limite de até dois livros trocados por vez;
2 - Um livro pelo outro (se você escolher dois livros, fica com o compromisso de trazer-nos outros dois para troca quando puder fazer a visita;
3 - Dicionários, enciclopédias e didáticos não fazem parte do projeto;
4 - O envio do(s) livro(s) da sua parte é facultativo. Em verdade, importa-nos mais a sua visita quando possível for;
5 - É vedada a utilização destes livros para comercialização.
Viu como é Simples? :)

Livro em perfeito estado de conservação

A força da poesia de Patativa do Assaré vem, talvez, do vínculo e dos contrastes entre a vida do poeta, o sertão e a cidade. Seus poemas nascem da matéria cotidiana, com seu saber, seu sabor, suas alegrias, seus encantos e desencantos, e todo o repertório de formas populares tradicionais que revisita e revitaliza. Patativa do Assaré, uma voz do Nordeste, contém uma antologia de seus melhores poemas, selecionada, organizada e apresentada por Sylvie Debs, da Universidade Robert Schuman (Estrasburgo). O volume integra a Biblioteca de Cordel.Geme de dor, se aquebrantaE dali desapareceO sabiá só pareceQue com a seca se encantaSe outro pássaro cantaO coitado não responde;Ele vai não sei pra ondePois quando o inverno não vemCom o desgosto que temO pobrezinho se esconde.<< Sobre a literatura de cordel >> A literatura popular em verso passou por diversas fases de incompreensão e vicissitudes no passado. Ao contrário de outros países, como o México e a Argentina, onde esse tipo de produção literária é normalmente aceita e incluída nos estudos oficiais de literatura.Apesar da maciça bibliografia crítica e da vasta produção de folhetos (mais de 30 mil folhetos de 2 mil autores classificados), a literatura de cordel? cujo início remonta ao fim do século XIX? continua ainda em boa parte desconhecida do grande público, principalmente por causa da distribuição efêmera dos folhetos.