R$50,00

11x de R$5,37 5% de desconto pagando com Deposito Itaú Ver mais detalhes
Entregas para o CEP: Alterar CEP
Nossa loja
  • Livraria Simples - Rua Rocha, 259 - Bela Vista, Sao Paulo - Próx. Metrô Trianon Masp - De segunda a sábado das 10 às 18h.
    Grátis

A partir do estudo das dinâmicas inerentes à economia informal e aos bairros periféricos de Buenos Aires, com marcante presença de migrantes bolivianos, a pensadora argentina Verónica Gago debate neste livro o enraizamento do neoliberalismo nas subjetividades populares e sua persistência na América Latina. A razão neoliberal mostra que o neoliberalismo não ficou nos anos 1990, como sugeria a retórica dos “governos progressistas”. Uma maior intervenção do Estado na economia não necessariamente se opõe ao neoliberalismo. “A fórmula Estado versus mercado simplifica tanto o papel do estado no neoliberalismo quanto a própria noção de mercado”, explica a autora. “O neoliberalismo não vem apenas ‘de cima para baixo’, mas lê e captura tramas vitais que produzem valor, inventando recursos onde não há, repondo infraestrutura popular diante do despojo e criando modos de vida que excedem as fronteiras do capital.” Por isso, Verónica Gago propõe o conceito de “neoliberalismo desde baixo”, uma vez que o sistema conseguiu redefinir-se a partir dos territórios onde se cozinharam as revoltas antineoliberais da virada do século. A razão neoliberal explica como a articulação entre os “governos progressistas”, os movimentos sociais e a financeirização da vida popular formou uma paisagem em que a produção de direitos e a inclusão social se realiza através da mediação financeira — e do consumo. “Esses processos são fundamentais para entender a ‘guinada à direita’ na região e o modo como se articularam neodesenvolvimentismo e neoextrativismo, relançando a acumulação de capital por meio da inserção subordinada de nossos países no mercado global.”